DAS: tudo sobre o serviço de acessibilidade da Disney

Preocupados em criar um ambiente diverso e igualitário para todos os visitantes, o Walt Disney World, em Orlando, criou o recurso para servir visitantes com necessidades especiais e condições limitantes, criando o Disability Access Service, ou Serviço de Acesso para pessoas com Condições Limitantes, o famoso DAS.

O DAS é um sistema pensado e feito para garantir que todos os visitantes possam aproveitar todos os brinquedos e atrações dos parques de maneira justa. Dessa forma, famílias com membros com necessidades especiais cognitivas e até mesmo, em alguns casos, motoras poderão ter uma experiência não só confortável, mas inesquecível para todos!

Esse sistema é bem mais do que um “fura fila”, ele é pensado de maneira consciente para que todos tenham uma experiência Disney igualitária, aceitando todas as diferenças. Por isso, viemos te contar aqui um pouco mais de como funciona e o que esperar do sistema DAS quando você visitar o Walt Disney World.

Quem pode utilizar o DAS?

Muitas pessoas que já conheciam ou tinham ouvido falar do DAS, acreditam que esse serviço foi feito para pessoas que estão em cadeiras de roda ou em scooters, mas não é bem assim. Vale lembrar que a fila de quase todas as atrações dos parques do Walt Disney World, em Orlando, são acessíveis para cadeiras de rodas e scooters, e caso não sejam, as pessoas são imediatamente redirecionadas para uma entrada alternativa com a ajuda dos Cast Members, então em todos os casos a pessoa com deficiência motora consegue ter acesso à todas as atrações de maneira justa. Então, isso quer dizer que eu não preciso de um DAS se estiver em cadeira de rodas? Geralmente não, mas tudo depende do seu caso.

O DAS foi feito e projetado para pessoas que possuem alguma deficiência intelectual ou atraso cognitivo, ou seja, aquelas pessoas que por ter essa condição, não absorvem o conceito de esperar em filas longas ou não conseguem aproveitar o dia no parque sem que algumas outras previdências sejam tomadas, ou até mesmo o fato de ter que esperar na fila acabe afetando negativamente seu estado de saúde.

Além disso, o DAS, quando criado, é feito tanto para a pessoa com a condição como para seu grupo — aqui também vale considerar que o tamanho do grupo é limitado por alguns motivos. A intenção é que a pessoa não vá sozinha nas atrações e tente aproveitar a viagem com o grupo, mas a Disney entende que ela não tem necessidade de ter mais 7 pessoas associadas ao serviço.

É importante ressaltar que idosos e crianças de colo não têm fila preferencial nos parques. Isso acontece porque grande parte das pessoas que visitam os parques são justamente crianças ou idosos. Nesses casos, para evitar qualquer dificuldade, os parques disponibilizam do aluguel de cadeiras de rodas e scooters na entrada, e também do aluguel de carrinhos de bebê, para facilitar ainda mais a sua experiência Disney. Recomendamos que se esse for o caso da sua família, você já leve de casa ou alugue por fora, pois esses costumam ter melhores preços. Lembrem que andamos MUITO nos parques.

Outra coisa muito interessante, é que para crianças que possuam algum atraso cognitivo ou deficiência motora e precisem usar os carrinhos de bebês na maior parte do dia, você também poderá solicitar uma tag, um adesivo especial vermelho. Esse adesivo deverá ser colado no carrinho de bebê, e fará com que ele se torne uma cadeira de rodas nos olhares dos Cast Members, ou seja, você poderá, caso deseje, entrar com o carrinho nos brinquedos para o maior conforto da sua família.

Onde faço o cadastro para utilizar o DAS?

O DAS inclui visitantes de todas as idades, com ambas deficiências visíveis ou aquelas não visíveis, mas que ainda assim possam impactar na experiência no parque. Cada situação é específica e você deve ir a um Guest Relations para criar o seu cadastro e entender melhor se ele é realmente adequado para sua condição. O Guest Relations, exclusivamente dos parques do Walt Disney World, são os únicos locais aptos a ativar esse serviço.

Muito importante: a pessoa com deficiência que utilizará o DAS precisa estar no momento em que você vai registrar o sistema no Guest Relations. Além disso, todos os ingressos ou magicbands de todos que irão utilizar o sistema precisam ser apresentados no momento em que o sistema é criado. Não é necessária nenhuma comprovação médica para o serviço, tudo vai do discernimento do visitante e do Guest Relations para que a validação aconteça.

Recomendamos que você reserve por volta de 10 a 20 minutos para completar o processo, lembrando que podem existir pessoas na sua frente na fila para o atendimento no Guest Relations. Por experiência própria como ex-Guest Relations, tenho certeza que todos os Cast Members estão completamente cientes de como o sistema funciona e saberão tirar quaisquer outras dúvidas que possam surgir sobre a sua experiência no parque utilizando ou não o serviço.

Como o sistema funciona?

Ao contrário do que muitos pensam, o Disability Access Pass da Disney não funciona como um “fura fila” e não te dá preferências nas filas. Como a intenção é fazer com que a pessoa apenas não espere fisicamente na fila, ela terá que esperar virtualmente.

E o que isso quer dizer? Basicamente quer dizer que, mesmo tendo o DAS habilitado você ainda precisa ir até à atração e pedir o Return Time (tempo de retorno), que sempre será equivalente ao tempo exposto de fila (que você poderá ver tanto no aplicativo My Disney Experience ou na entrada da atração), menos 10 minutos. Então, supomos que você tem o Disability Access Service da Disney, e foi até a atração dos Piratas do Caribe no Magic Kingdom e a fila está aparecendo como prevista de 45 minutos. Você avisa ao Cast Member que estará na entrada da atração que precisa do seu DAS return time, e após escanear seu ingresso ou magicband com ele, o sistema já automaticamente o programará para o tempo atual da fila com menos 10 minutos, ou seja, seu DAS será programado para que você retorne na fila daquele brinquedo daqui a 35 minutos.

Vale lembrar que o horário de retorno vale A PARTIR daquele horário, então se está programado para 13:15 significa que você pode voltar a qualquer momento depois das 13:15. Ou seja, você pode pegar um horário e ir relaxar com a sua família, ir fazer alguma outra atração ou show sem fila (damos todas as dicas nos nossos roteiros) e eventualmente quando puder, você volta para o brinquedo ou atração que você tem o seu DAS marcado.

Importante dizer que, quando chega o seu horário marcado e você retorna para atração ele deve ser usado na fila do Fast Pass+. Isso quer dizer que, você não irá utilizar uma entrada especial, e que, além de esperar o tempo da fila virtual, você poderá ter que aguardar alguns minutos na fila de Fast Pass+.

Anteriormente, o DAS era feito nesse papel, mas agora tudo é digital! | (c) Disney

O DAS, antes da mudança da tecnologia dos ingressos, era emitido em um papel. Hoje ele é feito pelo ingresso ou magicband e já fica associado à sua conta do My Disney Experience, caso você possua. Isso deixa tudo ainda mais fácil.

O Disability Access Service da Disney não possui um limite de quantos brinquedos você poderá utilizar por dia, mas você só conseguirá pegar um tempo de retorno por vez. Isso quer dizer que, você precisa brincar na atração que você tinha marcado, para depois poder pegar o horário em outra — para ser justo com todos, ele realmente é como se você estivesse na fila.

O portador dos DAS não precisa estar presente durante a solicitação do return time, porém deve ser primeiro a passar seu ingresso ou magicband na hora do retorno para ir nas atrações.

O interessante é que ele também é acumulativo com Fast Pass+, então você ainda tem direito a 3 Fast Pass+ iniciais por vez mais o tempo de retorno do DAS, permitindo ainda melhor o planejamento do dia da sua família no parque. Tudo isso estará conectado ao seu aplicativo do My Disney Experience ou colocando seu cartão/magicband nos quiosques espalhados pelo parque.

Como você verá o seu Return Time no app My Disney Experience | (c) everydayarthritis.com

Uma vez ativado, o DAS tem validade total de 14 dias para pessoas com ingressos comuns dos parques e de 60 dias para pessoas que possuam o passe annual. O Disability Access Service da Disney vale para todos os parques do Walt Disney World, então, se ele é ativado no primeiro dia de visita ao parque, e ainda estiver dentro do prazo, você não precisa visitar o Guest Relations novamente para reativar o DAS.

Trabalhando no Guest Relations, descobríamos que muitas pessoas que realmente precisavam desse serviço não sabiam que ele existia. É muito interessante entender que o Walt Disney World tem essa preocupação e sempre tenta ajudar as pessoas, para que sua experiência seja sempre a melhor e mais acessível possível. É legal também ressaltar que os Cast Members que validam o DAS são experts no assunto, e farão de tudo para te ajudar, mas isso não significa, necessariamente, que eles vão habilitar o serviço se você não se encaixar nos requisitos.

A gente destaca aqui, como dica pessoal, de que a Disney sempre está disposta a ajudar os visitantes para que sua experiência realmente seja inesquecível, mas ela também é muito rígida em relação à política de seus benefícios dentro dos parques. Esse sistema foi desenvolvido para pessoas que realmente precisam. Existem diversos “guias” não oficiais que oferecem um serviço “VIP sem filas nos parques”, algo que já adiantamos pra vocês: não existe. Esses guias estão usando inadequadamente o DAS, mentindo sobre a sua condição de saúde e vendendo um benefício totalmente gratuito para você. A Disney sempre fica de olho nas ações dos visitantes dentro do parque (sempre visando a segurança de todos), então isso pode acabar prejudicando a sua visita se o serviço for usado de forma indevida. Então fiquem atentos e desconfiem, sempre!

Caso tenha tido a experiência com o serviço conta pra gente como foi, e deixem aqui as suas dúvidas também!

Leia Mais
Como é cortar o cabelo dentro do Magic Kingdom: Harmony Barber Shop